5 passos essenciais para o desenvolvimento de produto

O desenvolvimento de produto envolve muita pesquisa, ideias e horas de testes. Por isso, para não perder tempo e dinheiro, é preciso seguir algumas etapas importantes. Veja quais são elas!

O desenvolvimento de produto não envolve apenas ter a ideia de criar algo novo, envolve muito mais do que isso. É preciso, acima de tudo, ter organização, fazer uma pesquisa de mercado, ter uma estratégia na criação e no lançamento. Isso tudo poderá definir o resultado de todo o trabalho.

Criar um serviço ou um produto novo para o mercado é a força das empresas, ou seja, o que vai diferenciá-la da concorrência. Ter um produto que só você faz ou um serviço que apenas sua empresa oferece é algo único, não é mesmo?

Porém, é preciso ter em mente alguns passos vitais para desenvolver o produto. Por isso, preparamos este texto com as 5 etapas essenciais! Confira!

Desenvolvimento de produto: qual a importância das etapas?

O desenvolvimento de produto deve passar por etapas, muitas vezes cronológicas, para chegar ao resultado esperado. Isso acontece porque, dentro de uma empresa, são muitos setores envolvidos, cada um com um olhar diferente. Fazer a gestão de todos os processos é muito importante.

Imagine que a empresa, por exemplo, está criando um refrigerante para o mercado. O número de departamentos envolvidos é muito grande, apenas para citar alguns, existem:

  • departamento de criação;
  • área de qualidade;
  • financeiro;
  • comunicação;
  • infraestrutura;
  • marketing.

É muita gente, não é mesmo? São pessoas para criar o refrigerante, que vai passar pela área de qualidade e pelo financeiro, para saber o custo final do produto. Além disso, toda a comunicação interna precisa estar afinada, assim como a infraestrutura para a logística de produção e entrega. Por fim, é necessária uma boa campanha de marketing para divulgar o produto novo no mercado.

Agora, já pensou todos esses departamentos trabalhando sem uma gestão ou comunicação de qualidade? Por isso, o desenvolvimento de produtos é um trabalho estruturado, que passa por várias fases, da pesquisa até o lançamento.

Mas quais são os passos para desenvolver?

Quando a empresa cria etapas para o desenvolvimento de produtos, ela ganha tempo e dinheiro no processo. Isso porque a refação de um trabalho será bem menor, economizando gastos com a criação. Além disso, e o mais importante, é possível já analisar a viabilidade do produto.

Afinal, uma boa ideia muitas vezes não quer dizer que seja um bom produto ou então vendável. O desenvolvimento depende ainda de questões econômicas, tecnológicas e comerciais para, realmente, ser algo interessante para o mercado. Por isso, é importante seguir estes passos abaixo.

1. Faça uma pesquisa de mercado

O primeiro passo é ouvir o público-alvo, porque não vai adiantar nada criar um produto que o consumidor não precisa. É importante entender as necessidades, os desejos, as dores e como resolver o problema do consumidor.

O desenvolvimento de produto deve estar focado nestes objetivos, aliado a um valor competitivo perante os concorrentes. As pesquisas de mercado poderão dar um norte para os desenvolvedores criarem algo voltado para o público que deseja. 

2. Jogue as ideias na mesa

A empresa fez a pesquisa de mercado e agora tem em mãos as necessidades do público. Agora é hora de reunir todos os desenvolvedores e fazer um brainstorming que nada mais é do que uma tempestade de ideias.

Este é o momento puro da criação, em que tudo é colocado na mesa para visualizar as opções existentes. Depois, é hora de fazer a triagem, escolher a melhor ideia, tanto para o público como para a empresa.

A ideia precisa ser boa para o consumidor e viável economicamente para a empresa. Se a ideia for genial, mas a produção for cara ou não ter tecnologia, o produto terá um valor alto ou não vingará.

3. Hora de desenvolver

Com a melhor ideia escolhida, é hora de colocar a mão na massa! Porém, antes de partir para a produção em escala, é ideal fazer a prototipagem e também os testes com amostras do produto.

Esta etapa é o momento de materializar a ideia, avaliando como será a produção e o custo total. Agora, também já é possível, por exemplo, garantir a segurança ao fazer o registro da patente.

Faça testes, anote o resultado, avalie as adequações necessárias. Neste caso, o ideal também é testar o produto em grupo, com o público em geral, para avaliar se comprariam a mercadoria.

4. Agora é a produção

Todos os testes foram feitos, a viabilidade dele aprovada e você tem a aprovação do público. Então, agora é começar a produção em escala, com a ideia já finalizada e materializada.

Enquanto todos esses passos foram feitos, outros setores foram criando a embalagem, o layout da marca ou então resolvendo tudo em relação à patente e às licenças. Com isso, o produto estará pronto para ir às ruas e ser comercializado, com garantia de proteção contra uso indevido.

5. Divulgue e venda

Antes de o produto ganhar as prateleiras, a campanha de marketing precisa estar pronta e alinhada com os objetivos da empresa. Uma análise de mercado neste momento é ideal para avaliar a melhor oportunidade para o lançamento.

No caso do refrigerante citado acima, datas como o Natal e o Ano Novo, além de épocas de calor, são positivas para a ideia, por exemplo. Com o produto nas ruas, nada impede também de refazer ajustes, caso as vendas não estejam satisfatórias. Porém, é preciso analisar bem para não prejudicar a imagem.

Ao realizar estes cinco passos, a chance de o desenvolvimento de produto dar certo e a empresa inovar será grande.

Quais os erros que o desenvolvimento de produto evita?

Durante estes cinco passos citados, erros podem acontecer no caminho, mas como ainda estará em desenvolvimento é possível fazer as correções. Haverá custos, porém bem menores do que se o produto já estiver lançado. Fazer o desenvolvimento de forma correta evita erros como:

  • fazer um produto que o cliente não precisa;
  • criar um produto caro para o objetivo dele;
  • copiar a concorrência;
  • falhas na produção;
  • erros na estratégia de marketing.

Dessas falhas, copiar a concorrência é algo que afeta negativamente a imagem da empresa, ainda mais se ela busca ser inovadora. Por isso, é interessante fazer uma pesquisa no INPI para conhecer as patentes já existentes no ramo que vai trabalhar.

Como proteger a criação?

Em um mercado competitivo, a disputa por inovação é muito grande e ferramentas como o segredo industrial e a patente ajudam a evitar cópias. Porém, o ideal é fazer a proteção o quanto antes. Para saber mais sobre isso, é só conferir este post que fizemos sobre como patentear o produto que você criou.

Seja Nosso Parceiro

Realizamos parcerias com Escritórios Contábeis, Associações Comerciais, Agências de Marketing e Publicidade, Parques Tecnológicos, Hubs de Inovação, entre outros. Conheça nossa proposta de trabalho.