Registro de marca para startups: por que fazer?

Em franca expansão, mercado de startups bate recorde de investimentos no Brasil e empreendedores têm um horizonte promissor. Mas é necessário garantir a devida proteção da marca junto ao INPI. Entenda por que e evite riscos ao seu ativo mais valioso.

Registro de marca para startups

Quem tem uma startup no Brasil sabe bem que o momento é extremamente positivo para investimentos. A injeção de recursos foi acelerada nos últimos dois anos e o futuro se mostra ainda mais promissor. Contudo, é preciso ficar atento a um detalhe importante para que, de uma hora para outra, o sonho não vire um pesadelo: a proteção à marca.

Como as startups estão relacionadas à inovação, a tendência é que seu crescimento aconteça numa velocidade muito rápida, já que oferece um serviço ou produto que não é disponibilizado por empresas comuns. Diante disso, muitas vezes, o empreendedor acaba deixando de lado o registro de marca da startup no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Esse é um erro que pode ser fatal para o seu negócio. O registro de marca para startups é exatamente a garantia legal de que seus direitos sobre essa ideia inovadora serão respeitados. Mais abaixo vamos detalhar por que isso é tão relevante, mas antes é necessário que você conheça bem o conceito de marca.

O que é marca?

Marca é todo e qualquer sinal visual que identifica um produto ou serviço. Para efeitos de registro no INPI, a marca pode ser:

– Nominativa (um nome, seja com palavras ou números);

– Figurativa (uma figura, um desenho, um símbolo);

– Mista (com nome escrito e figura);

– Tridimensional (um produto com design diferenciado)

A marca é o principal ativo intangível da sua startup. Embora não seja algo material, é um bem precioso e que diferenciará você dos demais no mercado.

A importância da marca para as startups

Com o conceito da marca bem esclarecido, agora vamos entender a importância dela para as startups. Você sabe que a novidade do seu produto ou serviço é o seu grande diferencial. É o que vai chamar atenção de investidores e do mercado em que você atua. Desta maneira, a marca será uma espécie de identificação que vai representar a credibilidade da sua startup. E é fundamental que todos saibam diferenciar o que você oferece, ainda mais agora com o chamado ecossistema de startups tão aquecido.

O Brasil já iniciou 2022 com um cenário altamente positivo, batendo o recorde de investimentos em startups. De acordo com o estudo Inside Venture Capital, da empresa de inovação Distrito, foram injetados US$ 1,36 bilhão em startups brasileiras em janeiro e fevereiro. O valor supera em US$ 360 mil o recorde anterior, no mesmo período de 2021.

O bom desempenho nacional em 2022 foi comprovado mais uma vez no início de junho, com a divulgação do ranking mundial dos melhores países para o ecossistema da inovação. O Brasil é líder na América Latina, com duas cidades se destacando neste cenário internacional: São Paulo (1º lugar) e Curitiba (7º lugar).

Como há uma tendência de crescimento muito rápido das startups, não dá para ignorar a necessidade de proteger suas marcas. E, agora, você vai compreender melhor por que deve fazer o registro no INPI.

Registro de marca para startups: por que fazer?

Levando em conta que essa modalidade de negócio atua na área de inovação, ou seja, traz algo novo para o mercado, é preciso garantir a exclusividade sobre os direitos de uso e exploração da sua marca.

Já parou para pensar no tamanho da frustração se, depois de você trabalhar por anos no desenvolvimento desse ativo intangível alguém simplesmente ganhasse dinheiro às suas custas ou, pior, conquistasse todos os direitos exclusivos sobre ele?

Daí vem a importância do registro de marca para startups no INPI. Ao requerê-la e obter a concessão, você terá resguardado todos os direitos de uso e exploração dela. Na prática, isso significa que ninguém poderá utilizar a mesma marca, a menos que seja autorizado por você. Do mesmo modo, em caso de violação da propriedade intelectual e de seus direitos de exclusividade sobre a marca, sua startup estará protegida legalmente e uma reparação financeira será facilmente alcançada judicialmente.

Além disso, há outro grande motivo para fazer o registro de marca para startups: o valuation. Entenda melhor este tema a seguir.

Como o registro da marca pode influenciar no valuation da startup?

Você que já é familiarizado com o universo das startups sabe exatamente o que valuation e como ele é importante para o sucesso do seu empreendimento. Mas, caso você ainda esteja estudando o assunto, não se preocupe. Nós explicaremos o que significa essa palavra.

Valuation (avaliação, em português) é uma metodologia usada para estimar o valor de uma empresa, neste caso de uma startup. Essa conta é feita com base em diversos fatores, entre eles o potencial de crescimento. Na prática, valuation será o valor que algum investidor estará propenso a aplicar em uma startup.

E qual é a relação dessa avaliação com o registro de marca para startups? Bem, toda empresa dessa categoria precisa de investidor e ele certamente terá mais confiança em injetar recursos financeiros em algo que já tem a garantia de uso e exploração exclusiva.

Ou seja, o registro de marca para startups representa credibilidade e a segurança de que não há riscos de o investidor ter uma surpresa desagradável no futuro, como outra empresa lucrando sem autorização de uso de uma marca que ele investiu.

Ah, e vale lembrar que, para o INPI, só será reconhecida legalmente aquela marca que tiver sido devidamente registrada primeiro. Isso significa que se alguém registrar antes de você uma startup com nome idêntico e no mesmo segmento que o seu, todos os direitos estarão reservados ao titular do registro. E você não poderá mais usar o mesmo nome e, pior, poderá ter de pagar ao dono oficial da propriedade industrial.

Como fazer o registro de marca para startups

Bom, agora que você tem todas essas informações, o que vai fazer com elas? O melhor é não esperar muito para se proteger, até porque você sabe como é dinâmico esse mercado. Então, o registro de marca para startups deve ser solicitado ao INPI de maneira certeira, com estudo prévio minucioso  para saber se já não há a formalização de uma marca com o mesmo nome e na mesma classe que a sua.

O mais recomendado é que se procure uma consultoria especializada em registro de marcas para evitar erros comuns de pessoas pouco íntimas deste universo. E isso é importante porque qualquer equívoco pode representar o indeferimento do pedido, com prejuízos financeiro (pelo valor investido em vão) e emocional (pela frustração).

Como escolher a melhor consultoria no registro de marca para startups?

Em primeiro lugar, é preciso pensar como o investidor que você busca para o seu negócio: invista em um parceiro que te ofereça segurança, credibilidade e, acima de tudo, competência.

A VILAGE Marcas e Patentes é uma empresa com mais de 35 anos de atuação neste segmento e conta com profissionais altamente especializados e atualizados sobre os procedimentos na formulação do pedido de registro de marca para startups. Vale ressaltar que a VILAGE tem mais de 23 mil clientes satisfeitos no Brasil, Estados Unidos, Alemanha e China. Se você quer ser o próximo a garantir a proteção da marca de sua startup, ligue 0800-703-9009 ou nos mande uma mensagem direta aqui. Nossa equipe vai te ajudar.

Artigos Relacionados

NFT e Metaverso

NFT e metaverso: qual a relação com o registro de marcas?...

Ver Publicação
busca de anterioridade de marca

A busca de anterioridade da sua marca foi feita corretame...

Ver Publicação